Salvador ou salvação?

Mestre e discípulo sentaram-se à sombra de uma frondosa árvore, em meio à floresta, distante poucos quilômetros da cidade.
Disse o mestre: “Hoje, você irá comprovar na prática, tudo que venho lhe ensinando ao longo de sua vida. Através do silêncio, da concentração e meditação, experimentará a invisibilidade, a telepatia e até a levitação, vencendo seus medos e anseios.”
Na ansiedade pela “iluminação”, o discípulo respondeu: “Não vejo a hora, Oh! Grandioso mestre!”

E começaram o silencioso ritual da meditação.
Mestre e discípulo imperturbáveis permaneceram.
Pouco tempo depois, um rugido parecia aproximar-se, inevitavelmente, dos dois.
Não resistindo, o discípulo abriu os olhos para a visão aterrorizante: um leão parecendo feroz vinha em sua direção. Sem pestanejar se quer, levantou-se calmamente, chamou pelo mestre, que não respondeu, e caminhou lenta e sorrateiramente em sentido contrário ao do leão.

Após alguns passos, parou, olhou para trás e petrificou-se com a cena do leão rodeando e cheirando seu mestre, ainda em estado meditativo.
Na busca por uma presa, o leão cheirou ferozmente o exato local onde antes sentara o discípulo, levantou a cabeça, e olhando fixamente para o rapaz, rugiu como quem avisa do perigo, e partiu, agora, na velocidade do caçador em direção à caça.

Desesperado e disparado, o discípulo gritava: “Mestre, socorro!! Só o senhor pode me salvar! Socorro!”
O mestre, ainda na mesma posição meditativa enviou uma mensagem telepática: “Jovem rapaz. Se ainda não conseguiu usar toda sabedoria da qual lhe falei para dominar sua mente e tornar-se invisível, só lhe resta agora usar sua força muscular mesmo e correr até que o faminto leão se canse. Espero que ao menos consiga receber esta mensagem!”

Moral da estória: examine cuidadosamente sua dedicação ao longa da vida.
Você está em busca de salvação ou apenas de um salvador?

NAMASTÊ!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *