De onde vem uma inspiração?

As grandes realizações humanas são fruto de uma “inspiração”.
Em qualquer setor da vida, em qualquer ramo ou área profissional, a inspiração é aquela força motriz, que impulsiona uma ação, que talvez, nunca antes tenha sido vislumbrada.
De repente, uma ideia, um insight traz à tona a solução de uma questão estuda há tempo na mente de um indivíduo.
Até as coisas mais impossíveis tornam-se viáveis com uma boa dose de “inspiração”.

E não é a toa que esse acontecimento é chamado de inspiração.
Fisiologicamente, inspirar é “levar pra dentro energia nova, oxigênio novo e assim o alimento das células”, e neste processo a inspiração acontece de forma involuntária: você nem se deu conta de que inspirava enquanto lia este texto.

Mas, e essa tal “inspiração artística” ou “inspiração de talentos”, de onde ela vem?
E onde buscar essa tão sonhada inspiração capaz de me levar à realizar coisas inimagináveis?
Aqui vai uma super dica: Existe uma montanha, chamada Kailash, no Tibet, que é considerada pelos budistas o centro do universo, e pelos hinduístas a morada de Shiva. Você pode ir etá lá, fazer a sagrada volta á montanha em peregrinação e a partir desta mística experiência, inspirar-se.
Mas acredito que isso tudo não seja assim tão necessário.

Viaje sim pra lá (eu vou também!), ou viaje pra qualquer lugar, mas não para buscar uma inspiração.
Apenas inspire, consciente de todo o processo.
Sempre que estiver mergulhado na busca de uma resposta, faça pausas, pequenas e regulares, e inspire de forma consciente.

Tente imaginar o percurso do oxigênio através de suas narinas, e depois nos pulmões, e coração e corrente sanguínea, e finalmente alcançando cada célula, em fração de segundos.
Isso é tão sublime e sagrado como o monte Kailash, sem dúvidas.

E é este momento de pausa para se conectar com o que é sublime e sagrado em você, que proporciona a clareza mental necessária para vislumbrar a “inspiração”, e é neste ponto que o insight acontece.
Quando você se permite distanciar-se do problema, e aproximar-se de si mesmo.

Não estou sugerindo que você passe o seu tempo sentado, observando sua respiração e esperando que as coisas aconteçam por si só.
Estou garantindo, que, se durante o tempo que dedica-se à solucionar questões das mais variadas ordens, você fizer uma pequena pausa para inspirar consciente, você estará criando a possibilidade de inspirar-se da solução que tanto busca.
É simples assim.
Você pode experimentar.

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *