Tem certeza mesmo?

Todos nós temos nossos próprios pontos de vista.
Todos nós temos nossas preferências, e não há nada de errado com isso. É assim mesmo que deve ser.
Por que todos nós somos diferentes geneticamente. Nascemos em ambientes diferentes. Recebemos informações culturais diferentes. Aprendemos com pessoas diferentes, então, sermos diferente é o mais provável e coerente.
O problema da humanidade, é encarnar a ideia de que na minha diferença, sou infinitamente melhor do que os outros.
À isso, damos o nome de ‘ego deformado’.
O ‘ego’ é um aspecto da personalidade humana, fundamental para a realização de todas as funções que o homem pode realizar. Por exemplo a escolha da profissão. Alguns egos são ferramentas excelentes para ensinar e receber ordens, mas não tem capacidade de lidar com sangue. Outros egos são fortes na lida com sangue, recebem bem as ordens, mas não têm habilidades para ensinar. Outros ainda, são egos que enfrentam bem a lida com sangue, ensinam muito bem mas não sabem receber ordens. Todos estes egos, podem formar profissionais excelentes, desde que estes poderes e limites sejam observados, admitidos e respeitados.
Percebe como é fundamental ter um ego bem desenvolvido? Quero que você entenda qual é a importância do ego, e que o ego não é um vilão. Ego é a sua ferramenta para ‘SER’ neste mundo.
O grande vilão dessa estória, é o apego ao prazer que dá parecer ser melhor que os outros. Sentir-se melhor que os outros traz uma falsa sensação de grandeza, de superioridade e de poder.
Eu sou sim, melhor que outros egos em algumas habilidades, mas sou também infinitamente inferior à muitos outros egos em outras habilidades.
Então, se colocarmos todas essas habilidades e inabilidades na balança, somos todos iguais. Porém, se eu apegar-me as sensações prazerosas e agradáveis  da superioridade, deformo o meu ego e ele se torna um ego doentio e desequilibrado.
Consegue enxergar onde estamos errando, e insistindo em culpar o pobre coitado do ego?
Se formos bem verdadeiros, perceberemos que o ego é vítima de uma consciência que não quer se alinhar, que não quer se encontrar e não quer se realizar.
É como colocar no carro a culpa por escolher o caminho errado.
Então, antes de defender seu ponto de vista com uma certeza assustadora, reflita se esta não é apenas a expressão de seu ‘ego deformado’ pelo apego. Pergunte-se ‘tenho certeza mesmo’?
Sua consciência sabe que todos os pontos de vista são verdadeiros, inclusive o seu, mas não somente o seu.

Desejo à todos um fim de semana repleto de ‘incertezas’!!!

NAMASTÊ!!!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *