Tá pegando fogo…e daí??

É sexta feira, meio da tarde de um dia típico de inverno no Brasil: pouco frio e muito seco. Mas, há uma previsão de moderada precipitação pluviométrica para a noite. Tudo normal para o típico inverno brasileiro.
Meus filhos vêm passar o final de semana em casa e eu precisarei ir ao mercado comprar algumas coisinhas para incrementar nossos bate papos ao redor da mesa de comida.

Saio de casa com a lista de compras em mãos. O bairro onde moro é novo, poucas casas, muitos terrenos ainda vazios, e muitas áreas verdes cercando o bairro. Havia no ar um cheiro característico de mato queimado, e eu já comecei a procurar os sinais de fumaça. E tava bem perto. Evidente que desviei meu rumo pra ver onde estava o fogo que gerava toda aquela fumaça..e era uma boa quantidade de fumaça.

Bem ao lado do loteamento onde moro, há um outro loteamento, ainda em fase de infraestrutura. Entre os dois loteamentos, há uma pequena área preservada com árvores. O fogo estava bem ali. Todo o mato já havia sido queimado e o fogo já consumia algumas árvores. Num golpe de vista inexperiente calculei que quase mil metros já haviam sido queimados.

Parei o carro, peguei o celular e imediatamente liguei para o bombeiro: 153.
Eu: -“Sr., quero fazer uma denúncia de incêndio, mas acredito que vocês já tenham recebido várias chamadas. Liguei só para me certificar.”
Bombeiro: – Sra, qual a localização, por favor?
Eu passei a localização.
Bombeiro: “Sra, não temos nenhuma chamada para essa localização.
Eu: – Como assim? Tem certeza? Por que esse fogo não começou agora? Tem mil metros quadrados já queimados e agora o fogo alcançou as árvores por perto. Como ninguém ligou ainda?
Bombeiro: Sra, poderia me informar seu nome e telefone? Estamos enviando a viatura.
Eu: informei meus dados e pedi que eles viessem o mais rápido possível.

Por alguns instantes eu fiquei ali, parada, observando o movimento ao redor do incêndio. Posso garantir que desde o momento em que a primeira chama se fez, ao menos uns 500 veículos passaram pelo local. E nenhum condutor ou passageiro fez a chamada aos bombeiros. Mas deve ser por que passaram correndo, e nem perceberam as primeiras chamas. Mas as segundas e as terceiras chamas também não foram notadas?

E então veio a constatação do pior: ao menos 2 homens olhavam, admirados, o poder devastador das chamas. Como alguém permanece parado, olhando um incêndio e não liga para os bombeiros? Deve ser por que não haviam casas ou empresas por perto, e então o risco de perdas ou morte era mínimo. Mas e a natureza? Não tem natureza por perto. Só algumas árvores. Ok. Esquece a natureza, isso ainda não foi entendido. Por que naquele pequeno pedaço de chão haviam dezenas de espécies de gramíneas, arbustos, algumas frutas de mato (goiaba aqui tem demais) e capim que pode servir de pasto pra animais. Haviam talvez centenas de espécies de minhocas, insetos e outros pequenos animais. Nessa região ainda existem muitas famílias de preás, lebres, sapos, calangos, entre outros. E se isso não for parte da natureza é o que então?

E a fumaça que esse fogo produz, poluindo o ar que agente respira, deixando o ar mais seco ainda? Crianças adoecem por conta disso? Se fosse pra gente ficar parado olhando pro fogo, espontaneamente a cada dia uma linda fogueira surgiria em nossos caminhos.

O fogo, Agni, é o elemento da natureza que traz Luz, e portanto, remove as trevas, a escuridão e a ignorância. Mas tem poder de destruir.
Ou aprendemos a usar sua Luz pra remover nossa ignorância, ou nossa ignorância nos levará direto à destruição que ele pode causar.

Sei lá onde é que estão as consciências humanas.
Por que a vida está acontecendo à nossa volta, e ela precisa que olhemos pra ela pra interação verdadeira acontecer. Não importa o tamanho da sua pressa, perceba se o mundo precisa da sua ajuda. Não importa sua desmotivação, perceba quando o mundo precisar da sua ajuda.
Não importa o que você pensa, perceba quando o mundo precisar da sua ajuda.

Não quero estragar seu dia, mas o mundo não foi criado para ser o cenário da sua auto performance.

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *