Parece ser…

Se eu falo de mim , sou egoísta.
Se falo dos outros, sou intrometida e fofoqueira.
Se falo a favor de determinada ideologia, sou esquerdista corrupto.
Se falo de maneira contrária, sou burguesia branca.
Se falo sorridente, e dou bom dia à todos, sou demagoga.
Se não olho pra ninguém, sou antipática, indiferente.
Se demonstro muita alegria, pareço esnobe.
Se guardo minhas alegrias, pareço depressiva.
Se falo aquilo que penso, sou radical.
Se escolho calar-me, sou prepotente.
Se como muito sou gulosa.
Se não como sou anoréxica.
Se dedico-me intensamente, sou estressada.
Se paro pra curtir a vida, sou folgada.
Se pinto os cabelos, sou vaidosa.
Se deixo os brancos aparecerem, sou desleixada.
Usando aqui a primeira pessoa do singular, falo de mim, mas creio que qualquer pessoa se identifica com esta realidade.
Não faz diferença o que eu penso, falo ou faço. O que “parece ser”, é resultado daquilo que você pensa.
E o que você pensa, nunca, jamais será exatamente igual ao que eu penso e muito menos ao que eu sou.
Eu sou única, tenho pensamentos, palavras e atos únicos no universo, e penso, falo e faço não para agradar a opinião pública, mas apenas para expressar o Divino que habita em mim.
Desejo, do íntimo de minha alma, que você realize o mesmo.
Não se importe com aquilo que os outros vão pensar.
Vamos tentar ao menos, nos ocuparmos de nossas ações, sem julgar as ações alheias.

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *