Por que viver um período ‘sabático’?

O termo “Sabático” vem do hebraico ‘shabat’ (descanso/inatividade), e corresponde ao sétimo dia dedicado ao descanso no costume judaico, conhecido hoje como ‘sábado’.  O ‘Ano Sabático’  também conhecido por Shemitá (“libertação”, na tradução literal do hebraico),  é descrito no Torá (livro sagrado do povo judeu) como o ‘período de descanso da terra’, onde os judeus não podiam cultivar a agricultura, e acontecia a cada sete anos, ou seja, para cada seis anos de cultivo, um ano de descanso, de acordo com as regras da bíblia judaica.

A princípio, este conceito foi incorporado por universidades  que passaram à conceder aos seus professores, licença de um ano a cada seis anos trabalhados, e assim surgiu a ‘licença sabática’ ou ‘afastamento sabático’, que atualmente foi incorporado também por inúmeras empresas que entendem ser este um investimento no potencial de seus profissionais.

Aos poucos a ideia de ‘período sabático’ foi ganhando espaço no mundo corporativo, e hoje já é uma prática usual e reconhecidamente eficiente. Para conseguir esta ‘licença sabática’ na empresa onde trabalha, o funcionário precisa apresentar um projeto pessoal, e não apenas pedir férias.
Período sabático não tem nada a ver com férias.

Mas no Brasil, esta prática ainda não foi bem incorporada por empresas e por trabalhadores. Apenas 8,4% das empresas brasileiras adotam esta prática por que ainda vivem alicerçadas em resultados imediatos ( e investir em um ano sabático de um funcionário trará resultados à médio ou longo prazo).
Em contra partida, boa parte dos funcionários têm medo de deixar o emprego por este período, correndo o risco de perder sua vaga de trabalho.

Empregados e empregadores no Brasil, ainda não tem consciência de que a técnica extrema somente é eficaz para robôs. Aos homens é fundamental a vida plena.

Mas, e se a empresa onde você trabalha não tem este tipo de programa, ou se você é um profissional liberal o que fazer? Como sonhar com a realização de um período assim se não posso me ausentar por um ano?
Calma. Estamos falando de períodos sabáticos, e isto não precisa ter 12 meses de duração.
Você pode definir este período como quiser.

Um período sabático está profundamente ligado à buscas pessoais, ao processo de desenvolvimento pessoal e ao auto conhecimento. Neste período, você deve buscar realizar algum sonho guardado, ou aquele projeto que parecia excêntrico, ou aquela viagem fabulosa. 
O período sabático leva o indivíduo a sentir a realização pessoal acima de tudo, e isso funciona como uma injeção de animo, de vitalidade, de amor e desejo de realizar mais.

Claro que não basta decidir que quer tirar um período sabático. Você precisa encontrar o que verdadeiramente te move, o que dá sentido à sua vida, quais sonhos ainda sonha, e a partir disso, definir o que e como fazer.
Se você é profissional liberal, o ideal é juntar recursos suficientes para manter-se, sem rendimentos, durante este período. Vale até desfazer-se de bens que não farão falta como carro, bicicleta, aparelhos ergométricos, e dependendo do caso, até a casa.
Se estes recursos já existem, não perca tempo: reflita sobre seu destino e vá.

 Com vidas mais longas vêm carreiras mais longas e aposentadorias mais longas , a primeira para conseguir bancar a segunda. Mas uma carreira de 40 anos, que termina aos 60 ou 65 anos, é uma perspectiva muito diferente de uma carreira de 50 anos que termina aos 70 ou 75 anos, e cientes disso, não estamos mais nos contentando somente em viver para o trabalho e de trabalho. O período sabático pode ser a fase de renovação que todos nós precisamos para conseguirmos chegar à aposentadoria com qualidade de vida, com disposição e cheios de sonhos ainda. 

Pense nos sonhos que você ainda não realizou por conta do trabalho. Planeje. Crie as circunstâncias para realizar este sonho, e torne a vida mais leve, mais fácil, mais dinâmica e plena. 
Viva o seu ‘período sabático’ para descobrir que você pode ser completo e realizado.

E não pare de sonhar e acreditar que a vida não precisa ser dura e cruel.

Eu em reverência ao Ganges- Varanasi- Índia

 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *