UTTHITA HASTA PADANGUSTASANA

Assim como em muitos asanas, o nome deste descreve exatamente o que se realiza: Utthita – Estendido ou esticado; Hasta – Mão; Padangustha (pode ser encontrado com ‘h’ ou sem) – Ponta do pé.
Podemos traduzir como “Mão na ponta do pé esticados”, ou “Postura estendida com a mão na ponta do pé”.

Parece muito difícil de executar, mas não é assim esse bicho de sete cabeças.
É claro que pra ficar como na foto, talvez leve um certo tempo pra seu corpo se soltar, e entender tudo que precisa ser feito para o asana, mas com paciência e determinação é possível sim. Mas, pra falar a verdade, você não precisa fazer como a foto. Você precisa fazer do melhor jeito que puder, e respeitando seus limites e capacidades. É assim que se pratica asana do Hatha Yoga.

Então, vamos fazer este asana:

1 – Coloque-se em pé, com os pés bem esparramados no chão e estabeleça firmeza. Escolha a perna que vai ficar no chão como base de apoio, e solte todo o peso do seu corpo nela.

2 – Flexione a outra perna, trazendo-a o mais alto que puder (quanto menos você se curvar à frente pra alcançar o dedão do pé, ou hálux, mais fácil será permanecer equilibrado no outro pé).

3 – Alcançar o dedão do pé com a mão, e a mão contrária à do pé esticado permanece na cintura.

4 – Inspire estabilizando sua firmeza e equilíbrio, e expirando estique sua perna à frente, o máximo que puder neste momento. Aos poucos vá ampliando esta capacidade, estique mais a perna e suba mais alto. Cada passo de uma vez, e tudo será possível.

5 – Se sentir dificuldade em equilibra-se, fique próximo de uma parede onde você possa tocar de vez em quando, só para estabilizar seu equilíbrio quando for necessário. É melhor usar sim um apoio, restabelecer seu equilíbrio, e permanecer mais tempo no asana, do que desfazer a postura cada vez que se desequilibrar.

6 – Desfaça o asana quando sentir que chegou no seu limite de permanência e mude de perna, seguindo todos os passos novamente.

Faça até o seu limite

Permaneça durante todo o tempo em que fica na postura, observando cada força que seu corpo realiza, cada dificuldade superada, observando sua respiração, descobrindo emoções que podem vir à tona. Isso tudo é yoga, e não apenas a posição do seu corpo.
Ao desfazer um lado, faça uma pausa de 10 segundos para identificar toda transformação que você alcançou.

Benefícios Físicos:

  • Fortace e alonga os músculos das pernas e abdomen, aumentando sua flexibilidade
  • Tonifica e relaxa as articulações dos quadris, aumentando a flexibilidade da bacia.
  • Tonifica e purifica os rins
  • Fortalece os tornozelos
  • Melhora o equilíbrio
  • Alivia a prisão de ventre
  • Estimula os três nós (granthis traya) localizados na base de sushumna nadi, no interior dos diminutos ossos do cóccix

Em minha experiência própria, usei este asana em prática diária,  para corrigir uma inflamação que desenvolvi entre a L5 e Sacral, e foi a partir desta prática que senti melhoras significativas e nunca mas sofri com as dores nesta região.

Claro que além dos benefícios físicos, tem muito mais por trás desta postura: seu esforço para manter o equilíbrio aumenta a capacidade de concentração. A força direcionada ao pé que está no chão, fortalece e estimula sua capacidade de caminhar firme na vida, de dar passos firmes na direção do que deseja realizar. O estímulo dos quadris traz amplitude para os movimentos da vida, suas decisões podem ser mais abrangentes e em várias direções, sem limites e sem medos. A flexibilidade alcançada pelo alongamento de pernas e braços, se reflete em mais flexibilidade na vida, mais leveza, mais desenvoltura, menos rigidez e menos estagnação.

É isso mesmo…tudo isso em apenas um asana!

Experimente!

E se tiver muita dificuldade procure a ajuda de um professor de yoga.

Namastê!

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *